You are currently browsing the category archive for the ‘Duque de Caxias’ category.

Bandeira de Duque de CaxiasA Bandeira do município de Duque de Caxias foi criado por deliberação em 30 de dezembro de 1966, sendo prefeito Joaquim Tenório Cavalcanti. O projeto é da comissão formada por Clóvis de Araújo Barreto, Luiz Travassos e Walter Joaquim da Rocha.

Ela consiste de duas listas azuis, em fundo branco remoso, que se cruzam no sentido da maior diagonal, tendo ao centro o brasão do município, recordando suas tradições e origens históricas e o desenvolvimento – presente e futuro do município, em luta serena pela industrialização.

A confecção da bandeira do município de Duque de Caxias, obedece às seguintes regras para fins de reprodução, a que deve-se utilizar como base a proporção 07:10, ou 14 x 20 módulos, como a bandeira nacional:

  • As listas transversais azuis terão 2,5 metros (dois e meio módulos) de largura;
  • O brasão do município ficará ao centro, sobre as listas azuis, afastado de 2 metros (dois módulos) na parte superior e 3 metros (três módulos) na parte inferior no sentido da largura da Bandeira; e
  • O listel terá a largura de 0,8 metro (oito décimos do módulo) e as letras 0,5 metro (cinco décimos do módulo).

Fonte: Wikipedia

Anúncios

No dia 30 de dezembro de 1966, o prefeito Joaquim Tenório assinou a deliberação que instituiu os primeiros símbolos municipais. 

Os símbolos formam a marca visual dos diversos órgãos governamentais: municípios, estados e nação. Para representar e valorizar nossos valores de civismo e amor à cidade, usamos os símbolos. Duque de Caxias tem o Brasão, a Bandeira do Município de Duque de Caxias, a Bandeira da Câmara Municipal, a figura do Duque de Caxias montado em seu cavalo e o Hino de “Exaltação à Cidade de Duque de Caxias”.

A comissão

A pedido do prefeito Joaquim Tenório, uma comissão de funcionários municipais foi formada para criar o Brasão e a Bandeira. Fizeram parte do grupo Clóvis de Araújo Barreto (desenhista e estudioso em heráldica – brasões), Luiz Travassos e Walter Joaquim da Rocha. O pedido do prefeito tinha justificativa, pois apesar de emancipado em 31 de dezembro de 1943, Duque de Caxias ainda não dispunha de seus símbolos, mesmo com a permissão da Constituição Brasileira de 1946.

Brasão de Duque de Caxias
https://baixadafluminense.wordpress.com/2007/12/20/brasao-de-duque-de-caxias/

Brasão de Duque de CaxiasO Brasão do município de Duque de Caxias foi criado por deliberação em 30 de dezembro de 1966, sendo prefeito Joaquim Tenório Cavalcanti. O projeto é da comissão formada por Clóvis de Araújo Barreto, Luiz Travassos e Walter Joaquim da Rocha.

O brasão caxiense se apresenta da seguinte forma:

  • Escudo português que lembra a origem lusitana da nossa Pátria;
  • A coroa ducal, em toda a sua beleza, evidencia o topônimo Duque de Caxias, cujo titular, Luís Alves de Lima e Silva, é hoje o patrono do Exército Brasileiro;
  • O trecho do imponente mecanismo da Refinaria Duque de Caxias representa, em toda sua pujança, a industrialização do município.
  • As estrelas falam da povoação regional pela figura de Brás Cubas (direita) e à esquerda lembra o deputado Manoel Reis, que foi o mais destemido baluarte da emancipação política do antigo distrito de Iguaçu.
  • A data 1566 refere-se ao início do desbravamento das terras onde hoje está o município e 1943 refere-se à elevação do antigo lugarejo à dignidade de cidade.
  • Também os metais e esmaltes têm os seus significados: ouro representa a força, prata a candura, vermelho a intrepidez, azul a serenidade e, finalmente, o verde representa a abundância.

Militar e estadista, é o patrono do Exército brasileiro. Nasceu na Fazenda da Tuquam, Vila de Porto de Estrela, hoje Duque de Caxias – RJ, e faleceu na Fazenda de Santa Mônica, Desengano, hoje Juparanã – RJ.

Em 1823, partiu como capitão para a Guerra Cisplatina (1825-28), da qual regressou promovido a major, ficando adido ao Batalhão do Imperador até sua dissolução (1831). Passou em 1837 para o comando do Corpo da Guarda da Corte, como tenente-coronel.

Foi em 1839 ao Rio Grande do Sul, conflagrado pela revolução Farroupilha, em viagem de inspeção, retornando à Corte e seguindo no mesmo ano para o Maranhão, à frente da Divisão Pacificadora do Norte, para dar fim à rebelião conhecida por Balaiada. Foi promovido a coronel e agraciado com o título de Barão de Caxias em 1841. Como Marechal-de-Campo, acabou com a guerra dos Farrapos, tendo por isso sido elevado a conde e escolhido senador em 1846 pela Província do Rio Grande do Sul.

Foi Ministro da Guerra em 1855 e presidiu o Gabinete Ministerial entre 1861-62 e 1875-78.
 
A atuação política de Caxias no Senado restringiu-se basicamente a assuntos militares, tal como um projeto que defendeu em 1846 em favor das guardas nacionais gaúchas, em que deu especial atenção às tropas localizadas no sul do país – ponto instável e estratégico.

Caxias também criou o Supremo Conselho Militar, substituindo as juntas de justiça militar, e propôs o fim do alistamento militar obrigatório.

Mais detalhes da biografia podem ser encontradas nos links abaixo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_Alves_de_Lima_e_Silva

1944 – 1944 – Homero Lara (interventor)
1944 – 1945 – Eitor Luís do Amaral Gurgel (interventor)
1945 – 1945 – Antônio Cavalcante Rino (interventor)
1945 – 1945 – Eitor Luís do Amaral Gurgel (interventor)
1945 – 1946 – Jorge Diniz de Santiago (interventor)
1946 – 1946 – Gastão Glicério de Gouveia Reis (interventor)
1946 – 1947 – José dos Campos Manhães (interventor)
1947 – 1947 – José Rangel (interventor)
1947 – 1947 – Custóvio Rocha Maia (interventor)
1947 – 1947 – Ten. Cel. Scipião da S. Carvalho (interventor)
1947 – 1950 – Gastão Glicério de Gouveia Reis
1952 – 1955 – Braulino de Matos Reis
1955 – 1959 – Francisco Correia
1959 – 1963 – Adolfo David
1963 – 1967 – Joaquim Tenório Cavalcante
1967 – 1971 – Moacir Rodrigues do Carmo
1971 – 1971 – Francisco Estácio da Silva
1971 – 1975 – General Carlos Marciano de Medeiros (interventor)
1975 – 1978 – Coronel Renato Moreira da Fonseca (interventor)
1978 – 1982 – Coronel Américo Gomes de Barros Filho (interventor)
1982 – 1984 – Hydekel de Freitas Lima (interventor)
1985 – 1988 – Juberlan de Oliveira
1989 – 1990 – Hydekel de Freitas Lima
1990 – 1992 – José Carlos Lacerda
1993 – 1996 – Moacir Rodrigues do Carmo (PFL)
1997 – 2000 – José Camilo Zito dos Santos Filho (PSDB)
2001 – 2004 – José Camilo Zito dos Santos Filho (PSDB)
2005 – 2008 – Washington Reis de Oliveira (PMDB)

30 de abril – Dia da Baixada Fluminense
13 de junho – Padroeiro da cidade (Santo Antônio)
25 de agosto – Patrono da cidade (Luís Alves de Lima e Silva)
31 de dezembro – Emancipação de Duque de Caxias

Duque de Caxias apresenta um grande crescimento nos últimos anos, sendo a indústria e o comércio as principais atividades. Há cerca de 809 indústrias e 10 mil estabelecimentos comerciais instalados no município*. Segundo o IBGE, o município de Duque de Caxias registra o sexto maior PIB (Produto Interno Bruto 1999 – 2002) no ranking nacional e o segundo maior do estado do Rio de Janeiro, em um total de 14,06 bilhões de reais. A cidade ocupa o segundo lugar no ranking de arrecadação de ICMS do Estado, perdendo somente para a capital. No município está localizada uma das maiores refinarias da Petrobras, a REDUC, que possui um Pólo Gás-Químico e contará com uma usina termelétrica.

Os principais segmentos industriais são: químico, petroquímico, metarlúgico, gás, plástico, mobiliário, têxtil e vestuário.

Empresas de vários segmentos têm se instalado em Duque de Caxias, tais como o Jornal O Globo e o Carrefour, aproveitando a privilegiada posição do município, próximo das principais rodovias brasileiras: Linha Vermelha, Linha Amarela, Rodovia Presidente Dutra, Rodovia Washington Luiz e Avenida Brasil, além da proximidade do Aeroporto Internacional Tom Jobim e a distância de apenas 17 km do Centro do Rio, levando seus produtos facilmente para grandes centros consumidores: São Paulo, Minas Gerais e Sul do Brasil.

O maior parque industrial do Rio de Janeiro fica no município, tendo empresas cadastradas como Texaco, Shell, Esso, Ipiranga, White Martins, IBF, Transportes Carvalhão, Sadia, Ciferal, entre outras. O segmento está mais concentrado nos setores de química e petroquímica, estimulados pela presença da REDUC, a segunda maior do país. No cadastro industrial da Firjan, Duque de Caxias ocupa a segunda posição em número de empregados no Rio de Janeiro e a terceira em número de estabelecimentos, atrás apenas da própria capital e de Petrópolis.

No Centro da cidade há intenso comércio popular, a maioria concentrado na rua José de Alvarenga. Nos arredores instalaram-se diversas lojas, todas focadas nas vendas para a classe C e D.

No passado, a região do Centro era dominada por camelôs e arrastões, fato que tem diminuído com o passar dos anos.

* Fonte: Wikipedia

O município limita-se ao Norte com Petrópolis e Miguel Pereira; ao Leste com a Baía da Guanabara e Magé; ao Sul com a cidade do Rio de Janeiro e ao Oeste com São João de Meriti, Belford Roxo e Nova Iguaçu. Caxias possui clima quente, porém, os 3º e 4º distritos (Imbariê e Xerém) têm temperatura amena em virtude da área verde e da proximidade da Serra dos Órgãos.

O Rio Meriti separa o município de Duque de Caxias da cidade do Rio de Janeiro e o Rio Iguaçu delimita Duque de Caxias de Nova Iguaçu. Já o Rio Sarapuí faz a divisão entre o 1º e o 2º distrito e o Rio Saracuruna separa o 2º do 3º distrito.

Taxa de analfabetismo: 8%*

São 149 escolas, sendo 14 creches e cinco Portais do Crescimento, creches que atuam contra a desnutrição infantil.*

Segundo dados da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do estado do Rio de Janeiro, a Fundação CECIERJ/Consórcio CEDERJ, Duque de Caxias possui 100 escolas municipais, 102 escolas estaduais e 128 escolas particulares. Sendo a taxa de alfabetização de pessoas residentes no município com 10 anos de idade ou mais em torno 92,40% da população. Algumas instituições de ensino superior atuam na cidade:

A Faculdade de Educação da Baixada Fluminense é uma instituição pública estadual localizada no bairro de Vila São Luís , sendo um campus da Universidade Estadual do Rio de Janeiro na região, por tanto, está subordinada a esta universidade. Oferece os cursos de graduação em pedagogia, matemática e geografia e também cursos de pós-graduação: Especialização em organização curricular e prática docente na educação básica e Mestrado em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas.

Remontam de 1969 as origens da Fundação Educacional de Duque de Caxias (FEUDUC). A graduação nos cursos de biologia, história, geografia, matemática, letras e informática são oferecidos por esta instituição privada, além dos cursos de pós-graduação.

A UNIGRANRIO é a maior e mais conhecida instituição de ensino superior de Duque de Caxias, foi criada na década de 70 com o nome de Associação Fluminense de Educação (AFE) até ser reconhecida como universidade em 1994, quando adotou o nome atual. Sua sede ou campus principal se localiza no bairro Jardim 25 de Agosto, além de unidades no Centro e em Santa Cruz da Serra, possui também campus ou unidades em outros municípios do estado, como cidade do Rio de Janeiro, Silva Jardim, Magé, Campos dos Goytacazes, Macaé e São João de Meriti.

O município conta também com um campus da Universidade Estácio de Sá, localizado no Jardim 25 de Agosto , onde são oferecidos os cursos de politécnicos, pós-graduação e graduação em administração, direito, informática e letras.

Há ainda a Faculdade de Serviço Social Santa Luzia, uma instituição privada também localizada no bairro Jardim 25 de Agosto. 

* Fonte: Prefeitura de Duque de Caxias

Industria e comércio. Há cerca de 700 indústrias e 10 mil estabelecimentos comerciais instalados no município. Segundo pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o município de Duque de Caxias registra o sexto maior PIB (Produto Interno Bruto 1999 – 2002)  de R$ 14,06 bilhões no ranking nacional e o segundo maior do Estado do Rio de Janeiro. A cidade ocupa o segundo lugar no ranking de arrecadação de ICMS do Estado, perdendo somente para a capital.